FAJE
Ementas das disciplinas Mestrado e Doutorado

Programa de Pós-Graduação

Curso de Teologia

1.º SEMESTRE DE 2017

TP. 017101 – Metodologia e pesquisa em teologia – Aparecida Maria de Vasconcelos

O objetivo deste curso é o aprendizado do método aplicado à pesquisa teológica, da pesquisa científica, da redação do trabalho científico e sua apresentação, em forma de oficinas. Dentro deste escopo, a teoria concernente a esse conjunto será conhecida e iluminada pela prática e discussão dos conteúdos em sala de aula. Os dois grandes eixos do curso serão: 1) princípios do método (etapas para fazer corretamente um trabalho científico); 2) redação de textos científicos (resumos ou abstracts, recensões, notas ou comunicações, artigos de periódicos, dissertação e tese).

TP. 017102 – Iniciação à leitura científica do texto bíblico – Luís Henrique Eloy e Silva

(Obrigatório para mestrandos e doutorandos que trabalham no âmbito da teologia bíblica)

O curso propõe-se a estudar os passos fundamentais necessários à análise do texto bíblico. Em um primeiro momento, serão vistos os princípios úteis à compreensão do texto bíblico em geral, e, depois, as características de um texto narrativo e as de um texto discursivo. Para tal, serão confrontados os princípios da metodologia diacrônica e sincrônica em diálogo com as abordagens hermenêuticas. Após a exposição dos passos necessários à análise científica, realizar-se-ão exercícios para a fixação dos princípios apreendidos e, finalmente, cada participante poderá escolher um texto bíblico, com o objetivo de sistematização e síntese pessoal dos passos assimilados.

TP. 017103 – Estudos de teologia sistemática – Sinivaldo Tavares

Fundamentos do cristianismo 2 – Sacramentos credíveis e desejáveis

(Obrigatório para mestrandos e doutorandos que não possuem Bacharelado eclesiástico em teologia)

O curso estudará especialmente o segundo volume do livro “Convite a pensar e a viver a fé no Terceiro Milênio: Sacramentos credíveis e desejáveis”, de Bernard Sesboüé. Na convicção de que Deus se fez homem e respeita de maneira escrupulosa os caminhos dos seres humanos, o curso tentará mostrar a importância e o sentido dos sacramentos e a instituição dos sacramentos no âmbito do mistério da fé cristã.

TP. 117104 – Estudos de cristologia – Manuel Hurtado

Problemas atuais de cristologia

A partir da leitura obrigatória prévia do artigo de K. Rahner, “Problemas actuales de cristología”, in: Escritos de Teología I, Madrid: Taurus, 167-221, o curso intensivo pretende identificar as grandes questões cristológicas atuais que estão em relação, ultrapassam ou mesmo completam as problemáticas outrora identificadas por K. Rahner. Para isso, leremos textos breves e escolhidos de diversos autores contemporâneos (Moingt, González-Faus, Sobrino, E. López, Neville, Haight, Dupuis, Hick, Knitter, Pieris, Ratzinger, Segundo, Cone, etc.)

O curso será dado em regime intensivo (24 abril a 5 de maio, das 18 às 21hs). A dinâmica do curso seguirá a metodologia de um seminário, isto é, cada aluno deverá ler todos os textos propostos previamente, pois cada uma das sessões acontecerá levantando questões concretas inspiradas na leitura dos textos. Os textos estarão disponíveis para descarregar na página do professor no site da FAJE a partir de março 2017.

TP. 117105 – Estudos de antropologia teológica – Geraldo De Mori

A doutrina da graça: história e teologia

A doutrina da graça foi fonte de grandes controvérsias na história do cristianismo. Nas últimas décadas, porém, esse teor controverso parece ter-se esgotado, levando à perda de sua relevância na existência cristã, apesar de ainda recorrente na linguagem comum e na fala de muitos fiéis. Qual o significado e quais as consequências dessa aparente “calmaria” no âmbito da teologia da graça e dessa perda de sua pertinência hoje? Para responder a essas questões, faremos uma incursão na história da doutrina da graça, privilegiando os momentos fundamentais de sua conceitualização. Num segundo momento, apresentaremos alguns intentos contemporâneos de releitura dessa doutrina para nossos dias, para, num terceiro momento, voltar à questão inicial, tentando propor uma reflexão pessoal sobre a doutrina da graça nesse início do séc. XXI.

TP. 117106 – Estudos de teologia ecumênica – Carlos Caldas

História e teologia da Reforma Protestante do século XVI

A propósito do quinto centenário da Reforma Protestante do século XVI será oferecido curso apresentando elementos dos antecedentes históricos, sociais e teológicos do movimento, com especial ênfase em leituras comentadas de fontes primárias disponíveis em língua portuguesa, a saber: algumas obras selecionadas de Martinho Lutero (com ênfase nos textos de 1517 a 1520) e As Institutas da Religião Cristã, de João Calvino.

TP. 117107 – Estudos de teologia de fronteira – Carlos Cunha

Teologia de fronteira: encontros com a teoria de(s)colonial de Walter mignolo

Walter Mignolo, semiótico e professor na Duke University, aponta para a emergência de novos lugares de enunciação, uma “gnose liminar” que é expressão de uma razão subalterna lutando para afirmação dos saberes historicamente subalternizados. Para ele, estamos vivendo a emergência de um “outro pensamento”, um pensamento liminar que aponta para uma razão pós-ocidental. Esse pensamento liminar é uma reflexão crítica sobre a produção do conhecimento e implica na sua redistribuição geopolítica até então pautada na colonização epistêmica e na subalternização de todas as formas de saberes, povos e culturas que não estivessem pautadas nos cânones da ciência eurocêntrica. A teoria de(s)colonial de Mignolo pressupõe uma desobediência epistêmica. Quais são as implicações do pensamento de Mignolo para a teologia cristã? Como a intelecção da fé se desvincula dos fundamentos genuínos dos conceitos ocidentais e da acumulação de conhecimento adquiridos pelas tradições das Igrejas? O que é e como fazer teologia de(s)colonial? Estas são algumas das perguntas que o curso busca “responder” no desafio da construção de uma teologia de fronteira.

TP. 217108 – Estudos de teologia pastoral – Afonso Murad

A ecoteologia latino-americana: estatuto epistemológico e relevância teológico-pastoral

O curso visa apresentar a originalidade e a pertinência da ecoteologia no nosso continente, levando em conta a superação do antropocentrismo despótico da modernidade, a premência da construção de uma sociedade sustentável e o despertar da espiritualidade ecológica. Eixos temáticos: (a) Ecologia: abordagem conceitual; (b) Antropocentrismo, biocentrismo e sustentabilidade; (c) Visão bíblico-teológico; (d) A contribuição da Encíclica Laudato Sì; (e) Estatuto epistemológico da ecoteologia; (f) Pistas pastorais; (g) Temas emergentes (teologia animal, ecofeminismo, tecnociência e biosfera).

TP. 017109 – Tópicos especiais em Antigo Testamento – Jaldemir Vitório

Fé e política: uma abordagem dos profetas bíblicos pré-exílicos

No mundo bíblico, todos os âmbitos da vida humana são abarcados pela fé, neles incluída a dimensão política. A experiência fundante da fé bíblica consiste numa ação divina libertadora, de caráter sociopolítico. A imagem de Deus daí resultante plasmou toda a teologia posterior. O advento da monarquia em Israel, com as injustiças dela resultantes, deu origem a um fenômeno profético singular, onde indivíduos exigiam dos governantes e dos líderes uma conduta compatível com a fé em seu Deus. O linguajar forte dos profetas, denunciando os desmandos da liderança, tinha como fundamento a teologia cultivada ao longo dos tempos. A análise de textos de três profetas pré-exílicos – Amós, Isaías e Miqueias – mostrará a associação inextrincável entre fé e política no ambiente bíblico.

TP. 017110 – Tópicos especiais em Novo Testamento – Johan Konings

A multiplicação dos pães nos Evangelhos

Comparação dos seis relatos de Mateus, Marcos, Lucas e João. Pano de fundo veterotestamentário. Considerações de contexto eclesial e pragmático do texto. O estudo será sobre o texto em grego. Conhecimento instrumental do grego bíblico é necessário.

TP. 117111 – Tópicos especiais em teologia sistemática – Luiz Carlos Sureki

Teologia da Esperança: Tomás de Aquino, Jürgen Moltmann e Karl Rahner

O curso pretende partir da concepção teológica tomásica/tomista clássica de esperança (como virtude teologal) a fim de que se possa perceber com maior clareza tanto a novidade trazida pela teologia protestante (recolhida e desenvolvida por Moltmann) quanto a mudança de perspectiva na teologia católica da esperança operada pela antropologia transcendental de Rahner. Trata-se, fundamentalmente, da necessidade sempre atual na teologia cristã de “dar razões da esperança" (cf. 1Pd 3,15).

TP. 217112 – Tópicos especiais em teologia fundamental – Eugenio Rivas

Escatologia como comunhão

O curso buscará estabelecer as bases de uma escatologia fundamentalmente prática, tendo como base a proposta metafísica de Maurice Blondel. A temática será abordada em três momentos. No primeiro, será estudada a influência de Blondel na reflexão teológica e apresentado um balanço da reflexão escatológica na teologia atual, realçando sua pertinência. No segundo momento, será delineada a figura escatológica que se insinua na concepção metafísica do autor (comunhão) a partir de sua obra metafísica: A ação. No terceiro momento, trataremos dos traços da escatologia como comunhão e das implicações para a reflexão teológica. Em outros termos, trata-se de refletir sobre como tal figura, por ser viva e prática, pode ajudar e estimular a reflexão teológica.

TP. 217113 – Tópicos especiais em teologia fundamental – César Alves

A revelação nas perspectivas cristã e islâmica: identidades e diálogo

Como no diálogo humano em geral, o diálogo inter-religioso pressupõe a identidade de cada dialogante, e visa a que as identidades se enriqueçam e se reforcem na relação com a alteridade. A identidade cristã sobre a revelação será considerada à luz do Concilio Vaticano II que, num modo muito mais rico do que a noção de revelação em vigor nos decênios anteriores, resgatou e expressou, em termos atuais, elementos essenciais da noção de revelação do próprio Cristo, da primeira comunidade cristã, do tempo neotestamentário e da Patrística. A identidade islâmica sobre a revelação, por sua vez, será estudada a partir tanto de autores muçulmanos significativos nesse campo, como do próprio texto do Alcorão. À reflexão teológica cristã sobre a revelação são apresentados desafios e indagações por parte da teologia muçulmana, e vice-versa. Tais indagações e desafios serão considerados à luz das respectivas identidades.

TP. 217114 – Tópicos especiais em teologia pastoral – Francisco das Chagas de Albuquerque

A teologia no pós-Vaticano II e a missão da Igreja

A teologia, tanto no âmbito católico como no campo protestante, tem procurado responder aos grandes desafios postos à fé cristã e à prática eclesial. Neste sentido, este curso propõe uma abordagem da teologia cristã desenvolvida na perspectiva teológico-pastoral do Concílio Vaticano II, acentuando a contribuição da teologia produzida na América Latina e Caribe. Serão analisados vários eixos: antropológicos, eclesiológicos, cristológicos e pneumatológicos a partir dos teólogos I. Ellacuría, J. Sobrino, G. Gutiérrez e J. Comblin. Procurar-se-á considerar o significado e atualidade dos diversos temas com relação à missão na Igreja no presente.

TP. 217115 – Tópicos especiais em teologia pastoral – Luís Herrera

Relações e tensões entre fé e cultura na América Latina depois do Vaticano II

O objetivo do curso é compreender a profundidade da afirmação de João Paulo II “uma fé que não se faz cultura é uma fé que não é plenamente acolhida” (1982). O ponto de partida será a ruptura de um conceito clássico de cultura empregado pela Igreja até o Vaticano II e os desenvolvimentos posteriores da relação fé-cultura nos documentos do Episcopado Latino-americano e do Caribe, de Medellín a Aparecida, e nas correntes teológicas como a Teologia do Povo (Teología del Pueblo), a Teologia da Libertação e a Teologia da Inculturação.

TP. 017116 – Seminário de leitura: Henri de Lubac – Paulo César Barros

Leitura da obra de DE LUBAC, Henri. Meditación sobre la Iglesia (trad. esp.). [s/l]: Desclée de Brouwer, 1958. 372 p.

TP. 017117 – Seminário de leitura: Elizabeth Johnson – Francisco Taborda

Leitura da obra de JOHNSON, Elizabeth A. Nossa verdadeira irmã: teologia de Maria na comunhão dos santos (trad. bras.). São Paulo: Loyola, 2006. 386 p.

Trata-se de uma obra da conhecida teóloga feminista católica norte-americana, religiosa da Congregação das Irmãs de São José de Brentwood, professora na Fordham University, New York, dirigida pelos jesuítas.

TP. 017118 – Seminário de leitura: Basílio de Cesareia – Ulpiano Vázquez

Leitura da obra de CESAREIA, Basílio. Tratado sobre o Espírito Santo. São Paulo: Paulus, 1999.

MINTER

TP. 017119 – Seminário de Leitura: Edward Schillebeeckx – Aparecida Vasconcelos

Leitura da obra de SCHILLEBEECKX, Edward. Jesus: a história de um vivente. São Paulo: Paulus, 2008.

TP. 017120 – Seminário de Leitura: Cirilo de Jerusalém – Aparecida Vasconcelos

Leitura da obra de CIRILO DE JERUSALÉM. Catequeses mistagógicas. Petrópolis: Vozes, 2004.

 

2.º SEMESTRE DE 2017

TP. 017221 – Estudos de Antigo Testamento – Bernardeth Caero

O profeta Jonas

No curso se fará uma análise exegética dos quatro capítulos do texto de Jonas, tendo em conta a análise semântica e narrativa. Os temas que se abordarão ao longo da matéria, que acompanharão o desenvolvimento de cada versículo, são: introdução ao profetismo, o contexto histórico do livro de Jonas, o estrangeiro no Antigo Testamento, a antropologia bíblica, a misericórdia divina e textos escolhidos do Antigo Testamento, que estejam relacionados com o conteúdo teológico do livro de Jonas.

Obs.: Para quem quiser aprofundar o texto hebraico, recomenda-se o curso de extensão de “Introdução ao hebraico bíblico”.

(Curso intensivo, entre 14-25 de agosto, das 18-21hs)

TP. 017222 – Estudos de teologia sistemática – Luiz Carlos Sureki

Fundamentos do cristianismo 1

(Obrigatório para mestrandos e doutorandos que não possuem Bacharelado eclesiástico em teologia)

Tendo por base a primeira e a segunda partes do livro “Pensar e viver a fé no terceiro milênio: convite aos homens e mulheres do nosso tempo”. Coimbra, 2002, do teólogo francês Bernard Sesboüé, o curso se desenvolve problematizando algumas das principais questões que dizem respeito às condições de possibilidade do próprio crer nos dias de hoje. Parte-se da pergunta: “O que é propriamente crer?” seguida de sua questão correlata, a saber, “Quem é propriamente o sujeito que crê?” Na sequência indaga-se acerca de outra questão primária: “Qual a linguagem menos imprópria para as coisas de Deus?” Pressupostas essas questões, aprofundam-se alguns elementos constitutivos do nosso Símbolo de fé, começando pela profissão de fé no Deus Pai Criador e suas afirmações derivadas: um Deus Pai, um Deus que fez o céu e a terra, um Deus que se revela e dialoga com suas criaturas, o problema do mal na criação, a origem do mal e sua superação mediante a solidariedade e generosidade extremas.

TP. 217223 – Estudos de teologia fundamental – Eugenio Riva

O ato de fé

A fé é, do ponto de vista cristão, um fenômeno, ao mesmo tempo, fundamental e poliédrico. Ela é adesão pessoal àquele Deus que se revela em Jesus Cristo; ela é participação na fé da Igreja que gera e sustenta a fé pessoal; ela é uma forma peculiar de conhecimento da verdade de Deus e do ser humano, que coloca a condição insubstituível para a teologia; ela é uma virtude cristã fundamental, o pré-requisito imprescindível da esperança, da caridade e das obras boas. O objetivo do curso consiste em apresentar e analisar as diferentes facetas do único ato de fé, a natureza e o objeto da fé; a certeza da fé; o nascimento, o crescimento e a perda da fé; a relação entre fé e razão e fé e salvação. O resultado será uma teologia do ato de fé e a pertinência desta teologia para o diálogo na pluralidade cultural e religiosa.

TP. 117224 – Estudos de teologia da liturgia – Ângelo Cardita

Estudo teológico do rito (epistemologia, metodologias, interdisciplinaridade, autores, perspectivas, disciplinas teológicas)

O curso pretende aprofundar a questão do lugar e do valor da experiência ritual no âmbito teológico, traçando uma panorâmica das perspectivas e quadros teóricos que abordam o rito de um ponto de vista teológico e interdisciplinar. A partir da problemática da liturgia como «locus theologicus», a reintegração do rito no coração da teologia tem efeitos sobre a própria noção teológica de fé, bem como sobre a forma de concreta de vivê-la. Assim, num primeiro momento o curso explorará as principais possibilidades epistemológicas inerentes à reintegração teológica do rito. Num segundo momento, o curso refletirá sobre algumas das condições atuais da experiência antropológica da ritualidade.

(Curso intensivo, de 1-11 de agosto, das 18-21hs)

TP. 117225 – Estudos de história da teologia – Nurya Martínez-Gayol

A teologia de Hans-Urs von Balthasar

Este curso quer oferecer a possibilidade de aproximar-se e saborear algo do pensamento de um dos maiores teólogos católicos do século XX. Trata-se de mais do que penetrar em uma obra concreta, no que poderíamos chamar seu “estilo teológico”, sua forma peculiar de entender e de fazer teologia; e de captar como esta singularidade tem sua fonte em sua própria experiência pessoal da glória de Deus. Daí o título: “Uma teologia atingida pela glória”. Numa linguagem muitas vezes paradoxal e reivindicadora, em seu intento de recuperar a centralidade, novidade e radical alteridade da revelação, e a atenção às dimensões estética e contemplativa, Balthasar injeta na teologia a alegria do imprevisível, a fascinação pela beleza, o assombro gozoso ante a gratuidade e a desmesura do Deus semper maior da soli Deo gloria.  Escrevia Balthasar: “Só a teologia bela, ou seja, uma teologia que atingida pela gloria Dei, consegue por sua vez fazê-la resplandecer, tem a possibilidade de incidir na história dos homens, impressionando-a e transformando-a” (Glória 2, 15). Mas essa beleza não é mais que a forma expressiva que toma “o amor até o extremo” y por isso, “o puro irradiar-se do fundamento do ser enquanto espoliado e carente de todo fundamento” (TL I, 254). Daí que a Cruz seja o lugar paradigmático onde este Amor se revela, e nos despoja de nossas imagens de Deus para abrir-nos à Verdade de sua própria condição despojada. A como se fez carne e sangue esta teologia em sua concreta existência teológica, dedicaremos este curso, aproximando-nos de sua vida e obra. Balthasar a definiu como uma garrafa lançada ao mar, esperando que com o passar do tempo possa ser recolhida. Esta é um convite a que tenhamos a coragem de recolhê-la e a abramos.

(Curso intensivo, de 28 de agosto a 8 de setembro, das 18-21hs)

TP. 217226 – Estudos de ética teológica social – Élio Gasda

Teologia, economia e teorias da justiça

“A economia é a ciência que estuda a conduta humana como uma relação entre fins e meios escassos que tem usos alternativos” (Lionel Robbins). O curso visa estimular a reflexão interdisciplinar entre teologia e economia e as Teorias liberais da justiça. O que é economia? Qual a essência da economia de mercado do capitalismo? Existe uma dimensão religiosa implícita na lógica econômica? Qual a contribuição da Doutrina Social da Igreja (DSI)?

TP. 017227 – Tópicos especiais em Antigo Testamento – Jaldemir Vitório

Narratividade bíblica: a construção de alguns personagens do livro do Gênesis

O curso se propõe a estudar alguns personagens do livro do Gênesis, aplicando o método da análise narrativa. Trata-se de explicitar os expedientes literários usados para a construção dos personagens em função da mensagem (semântica) a ser transmitida aos leitores.

TP. 017228 – Tópicos especiais em Antigo Testamento – Rivaldave Torquato

Escondimento, sede e busca de Deus no Antigo Testamento

É uma afirmação bíblica que “Deus se esconde” (Is 45,15) deixando o ser humano com sede (Sl 42,3), como “terra árida, exausta e sem água” (Sl 63,2) e despertando nele a busca (Sl 24,6; Ct 3,1-2). Mas quem de fato primeiro se escondeu foi o próprio homem depois de ter comido o fruto proibido (cf. Gn 3,8) e continua a se esconder (cf. Jó 13,20-24). A busca sincera passa pelo arrependimento que recria e renova (Sl 51). A busca de Deus é latente também na pessoa moderna, mas: que deus (no mundo dos ídolos)? e que fonte? A espiritualidade do balanço e do barulho não se sustenta por muito tempo. Na verdade, esta disciplina quer abordar um tema clássico da mística, porém, não a partir dos místicos, mas dos textos bíblicos onde certamente os místicos beberam. Analisaremos os seguintes textos: os paralelos Sl 42-43//Lc 2,25-38 e Ct 3,1-5; 5,2-6,3//Jo 20,11-18; Sl 63; 51; etc.

(Curso semi-intensivo nos meses de agosto e setembro)

TP. 017229 – Tópicos especiais em Novo Testamento – Johan Konings

Estudo da Fonte Q (Logienquelle)

Comparação Mateus e Lucas. Fases da redação da Fonte Q. Questão da “jesuanidade”. Considerações de contexto eclesial e pragmático do texto. O estudo será sobre o texto grego. Conhecimento instrumental do grego bíblico é necessário.

TP. 017230 – Tópicos especiais em Novo Testamento – Luís Henrique Eloy e Silva

“Trazemos este tesouro em vasos de argila” (2Cor 4,7a). O ser humano transformado por Cristo segundo São Paulo

Objetivo do curso, por um lado, é compreender o rosto do ser humano no corpus paulinum, particularmente sob a ótica da construção do discurso em sua vertente lexicográfica, semântica e teológica e, por outro, em termos axiais situar tal compreensão no horizonte basilar da cristologia e da soteriologia do apóstolo. Metodologicamente, o curso se movimenta em três passos: a) o sincrônico, por meio do qual são analisados vários blocos textuais em que as dimensões antropológicas são contempladas; b) o diacrônico, por meio do qual tais dimensões são ambientadas em seu possível húmus judaico e/ou helenístico; c) o hermenêutico, por meio do qual é identificado o proprium da antropologia paulina que não somente a distingue enquanto visão sistemática, mas que sobretudo a qualifica como uma nova compreensão do ser humano.

TP. 117231 – Tópicos especiais em cristologia – Geraldo De Mori

Professar e pensar hoje a fé pascal

A ressurreição de Jesus foi exaustivamente estudada nas últimas décadas pela exegese do Novo Testamento e, em menor medida, pela teologia dogmática. Partindo de alguns destes estudos, buscaremos responder às seguintes questões: Como a fé pascal nasceu no coração dos discípulos? Que sentido teológico dar aos relatos do túmulo vazio e das aparições do Ressuscitado? Em que sentido se pode dizer que a ressurreição é um evento histórico? Que significa a ressurreição de Jesus para a concepção cristã de Deus e para a antropologia?

TP. 117232 – Tópicos especiais em teologia dos sacramentos – Francisco Taborda

A teologia das preces de ordenação nas diversas tradições litúrgicas

A partir da análise das preces de ordenação para bispo, presbítero e diácono, nas diversas tradições litúrgicas, tratar-se-á de explicitar a teologia dos respectivos ministérios e se perguntará sobre as diversas perspectivas em que são vistos. Desta forma se verificará, num caso concreto, a verdade e os limites do axioma “lex orandi – lex credendi”. Entre as preces a serem analisadas estão as transmitidas pelas obras: Diatáxeis (“Tradição Apostólica”), Cânones de Hipólito, Constituições Apostólicas, Sacramentário de Serapião, Testamento do Senhor. Além disso, as preces dos ritos alexandrino, antioqueno, maronita, caldeu, bizantino, melquita, galicano, hispânico, romano (das diversas épocas históricas).

TP. 217233 – Tópicos especiais em teologia fundamental – César Alves

Sobre o método da Teologia

Estudar o método de um ramo do saber acadêmico consiste no exame da estrutura e da “gramática” que devem configurar o exercício desse saber, ao invés do exame direto dos conteúdos das diversas disciplinas que o compõem. O curso terá por foco a análise dos procedimentos que caracterizam o saber da Teologia, e dos fundamentos e pressupostos que devem assinalar o trabalho do teólogo. Para isso, serão estudadas algumas obras clássicas e documentos essenciais que abordam o tema.

TP. 217234 – Tópicos especiais em Doutrina Social da Igreja – Francisco das Chagas de Albuquerque

Doutrina Social da Igreja e desafios da pós-modernidade

A Doutrina Social da Igreja constitui um rico patrimônio do cristianismo. O ensino social da Igreja, através de dezenas de documentos propõe uma reflexão sobre a visão da Igreja com relação a cultura, a economia, a política e outros aspectos concernentes à ao ser humano e sua atuação na sociedade. A DSI encerra os ensinamentos fundamentais da Igreja sobre essas áreas, oferecendo aos cristãos princípios para uma posição ética frente aos grandes desafios da pós-modernidade a partir dos sócio-políticos, econômicos, culturais e do meio ambiente. O curso propõe uma reflexão sobre tais questões atuais à luz das encíclicas sociais (1962-2015).

TP. 217235 – Tópicos especiais em teologia da espiritualidade - Aparecida Vasconcelos

A mística interrogando sistemas

Ementa: O/a místico/a no encontro com o Absoluto pessoal faz experiências de “êntase” e “êxtase”.Tais vivências marcadas pela iluminação, união e efusão se traduzem em questionamento do sentido, inconformismo e ações desinstaladoras, porque municiadas de “pathos profético”. O seminário abordará, inicialmente, o caráter conceitual da experiência mística. Em seguida, tratará de quatro vias místicas: da tradição judaica (Abraham Heschel), católica (Teilhard de Chardin), ortodoxa (Pavel Florensky), e anglicana (Evelyn Underhill). A metodologia seguirá a leitura de textos seletos dos autores, debate e sistematização dos aspectos  interrogados e aberturas daí advindas.

TP.117236. Tópicos especiais em Teologia Fundamental - Sinivaldo S. Tavares

A teologia cristã face aos desafios postos por: hermenêutica intercultural, pensamento descolonial e ecologia integral

A complexidade do mundo em que vivemos desafia-nos a recorrer a hermenêuticas plurais e a métodos transdisciplinares.  Testemunhamos uma situação de “colonialidade” extensiva aos âmbitos da cultura, da sociedade, da economia e da política. Tem-se, contudo, menos consciência das estreitas relações entre colonialidade e crise socioambiental. Num tal contexto, a teologia tem advertido a necessidade de sofrer uma transformação capaz de atingir suas raízes epistemológicas e metodológicas. Por isso, ela elege a relação entre o intercultural, o descolonial e a ecologia integral como “lugar teológico”, vale dizer, perspectiva sob a qual abordar seus vários temas na construção de seu próprio discurso. O curso obedecerá a quanto segue: num primeiro momento, serão apresentadas propostas da hermenêutica intercultural, do pensamento descolonial e da ecologia integral; sucessivamente, serão sublinhados os desafios lançados à teologia cristã em sua permanente busca de se constituir em discurso relevante e responsável; ao final, serão elencadas as eventuais contribuições que uma Teologia, assim compreendida, possa oferecer à nossa época, caracterizada, entre outras coisas, pela indigência do pensamento.

TP. 217237 – Tópicos especiais em hermenêutica – Nilo Ribeiro

A Hermenêutica – entre a poética e a ética

Levando em conta a viragem hermenêutica no pensamento contemporâneo, trata-se de refletir sobre seu impacto sobre a própria filosofia e sobre outras ciências afins, como a teologia. Procurar-se-á num primeiro momento situar as questões filosóficas candentes que brotam da própria história da hermenêutica como movimento, não apenas como disciplina e/ou método. Em seguida, vamos focar a atenção sobre a passagem do “discurso como palavra” para o “discurso como obra” a fim de mostrar, seja a fecundidade da Poética fixada nas diversas produções literárias, seja a maneira como na escritura se articulam compreensão e explicação de modo a se abandonar certas antinomias instauradas no seio da Hermenêutica histórica. Por último, trataremos de abordar a questão específica de uma ética narrativa a partir de obras Poéticas como maneira de estabelecer uma intriga entre discurso, textualidade e ação humana a fim de responder criticamente à tendência de o discurso ético circunscrever-se em torno do modelo reflexivo de corte aristotélico-kantiano.

TP.017238 – Seminário de leitura: Juan Luís Segundo – Afonso Murad

SEGUNDO, J.L. O dogma que liberta: fé, revelação e magistério dogmático. 2º ed. São Paulo: Paulinas, 2000. 441 p

TP.017239 – Seminário de leitura: Edward Schillebeeckx – Luís Herrera

SCHILLEBEECKX, E. Jesus: a história de um vivente. São Paulo: Paulus, 2008.

  Arquivo para Download:
Av. Dr. Cristiano Guimarães, 2127 - Planalto - Belo Horizonte - MG - CEP31720 300 - Como chegar? Tel (31) 3115 7000 - Fax (31) 3115 7015