Comunicado Mensal – Julho de 2022

advanced divider

REPETIÇÃO INACIANA E RECESSO ESCOLAR

Elton Vitoriano Ribeiro SJ, Reitor

No ano de 2021, nas Palavras do Reitor de Julho, apresentei algumas ideias a título de Exercícios, para nos ajudar a entrar no Tempo de Recesso Escolar daquele ano. Neste ano de 2022, repetirei o mesmo texto. A repetição é proposital. Com efeito, para os jesuítas a repetição tem um papel fundamental na aprendizagem. Pela repetição aprendemos a escutar e saborear as ressonâncias internas das experiências significativas que vivemos. A repetição é um buscar de novo o vivido, um enraizar as experiências, os aprendizados, na trama frágil de nossas vidas para vivê-las com mais leveza. A repetição é, também, um refrear nossos desejos compulsivos, próprios do comportamento contemporâneo, de querer e consumir, sempre e a todo momento, novidades. A repetição nos abre aos processos lentos de humanização como, por exemplo, a gestação de uma criança, o crescimento de uma árvore e o lento cicatrizar das feridas. A repetição é uma fazer jus às palavras de Santo Inácio de Loyola, cuja festa celebramos no dia 31 de Julho, que diz: “O que sacia e satisfaz a alma não é o muito saber, mas o sentir e saborear as coisas internamente (Exercícios Espirituais, n.2)”.

REPETIÇÃO

1. Princípio e Fundamento: “Vinde, a sós, para um lugar deserto, e descansai um pouco” – Mc. 6,31.
1.1 Recesso: do latim recessus = ação de se retirar. Período de férias, suspensão temporária das atividades. Lugar afastado, recanto, retiro, recesso calmo.
1.2 Recesso escolar: interrupção parcial das atividades letivas.
1.3 Descansar: origem des + cansar. Livrar-se do cansaço, da fadiga, do trabalho. Acalmar-se, alcançar um estado de tranquilidade, deixar de ter preocupações. Abrandar, fazer que fique mais leve.
2. Contexto: A Sociedade do Cansaço – Byung-Chul Han: “Hoje o indivíduo se explora e acredita que isso é realização” (El País, 07/02/2018). Vivemos numa época de hipervalorização de indivíduos inquietos, hiperativos, eficazes e produtivos. Indivíduos que se arrastam cotidianamente realizando múltiplas tarefas importantes e indispensáveis para a justificação das próprias tarefas. Vivemos a angústia de não estar fazendo tudo o que deveria e poderia ser feito. Exploramos a nós mesmos, mais do que nunca.
3. Esperança: Desejo a todos que este tempo de recesso seja colorido, leve e divertido como a paisagem brasileira do quadro “O Mamoeiro (1925)” de Tarsila do Amaral.

Palavra do Reitor Julho 2022 (PDF)

Palavra do reitor maio 2022

Palavra do reitor Abril 2022.docx