Palavra do Reitor

advanced divider

(Discurso de posse do Reitor Prof. Dr. Pe. Elton Vitoriano Ribeiro SJ, em 01/03/2021)

Um novo triênio 2021-2023 começa

Iniciamos neste ano de 2021 um novo triênio da Faculdade Jesuíta com várias mudanças, entre elas, a do cargo de Reitor da instituição. O cargo de Reitor, apesar do nome pomposo e cheio de simbolismo, que etimologicamente nos conduz à ideia de reger e governar; nas sociedades contemporâneas aproxima-se mais da função de servir e animar a instituição a seguir sua missão e seus objetivos, previamente traçados pela comunidade acadêmica. Nesse sentindo, no novo triênio que estamos começando temos uma bússola a indicar nossos caminhos no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) 2021-2025.

O PDI aponta os caminhos, mas, como aprendemos com a filosofia e a teologia, nossas vidas são históricas, encarnadas, vividas em contextos específicos e influenciadas por imaginários sociais que herdamos de nossas tradições e visões de mundo. Somos seres históricos. Assim, os desafios de nossa sociedade, e para nós aqui na Faculdade Jesuíta, os do Cristianismo, não nos são indiferentes. Esse é o solo onde enraizamos nossas vidas e construímos nossas narrativas. Por isso, a pandemia da Covid-19 afeta profundamente nossos caminhos. Nessa pandemia temos testemunhado momentos de luzes e de sombras. Por um lado, nossa vulnerabilidade e fragilidade existencial estão diante de nossos olhos, seja no sofrimento infringido pelas doenças, seja na vultuosidade do número de mortos. A desigualdade social, sempre escamoteada pelos governantes, torna-se evidente, e a sobrevivência cotidiana de grande parte da população configura-se como uma luta diária pelo próprio alimento. Essa desigualdade se estende, e isso para nós é importante, na desigualdade de acesso à educação e no abandono precoce dos mais pobres do ensino formal nas escolas e faculdades. Apenas uma pequena parcela da população juvenil consegue chegar até o ensino superior e as consequências dessa exclusão afetam o mercado de trabalho e aumentam o desemprego crescente da sociedade brasileira. Finalmente, os próprios cristãos estão divididos, muitas vezes enchafurdados em

ideologias paralisantes que leem o evangelho como palavra de condenação e não como palavra de salvação.

Por outro lado, observamos uma cultura do diálogo, da conscientização e da fraternidade florescer em muitas partes do mundo. Isso acontece desde gestos simples de acolhimento, até ações maiores de construção de políticas públicas e lutas por mais justiça social. Uma cesta básica a quem precisa, a criação de auxílios para quem está sem emprego, a organização das Igrejas para celebrarem sua fé dentro de padrões de segurança sanitária, o desafio de organizar as escolas e faculdades para continuarem sua missão de formar homens e mulheres. Muita coisa está sendo feita em favor da vida. Viver e agir a partir dos desafios concretos que encontramos, eis o desafio cotidiano.

Nossa comunidade acadêmica sempre buscou viver os desafios calcados na esperança alimentada pela fé cristã. Enfrentamos os desafios buscando soluções criativas e participativas. Todos juntos somos importantes nessa comunidade que se realiza na vida de pessoas concretas, com suas diferentes habilidades e responsabilidades. Por isso mesmo, será como comunidade acadêmica que enfrentaremos esse novo triênio atentos à missão e aos objetivos que o nosso PDI 2021-2025 nos propõe.

Primeiramente é importante olharmos para a nossa missão. Em todo PDI, a declaração de missão é a declaração dos propósitos que orientam as ações e explicitam os objetivos, proporcionando uma direção e orientando as tomadas de decisões. Nossa missão no novo PDI foi formulada nos seguintes termos: “Formar pessoas com excelência acadêmica em Filosofia, Teologia e Ciências afins, promovendo o diálogo entre a fé e a cultura contemporânea à luz do humanismo cristão, da amizade social e da ecologia integral”. Assim, nessa declaração de missão encontramos o horizonte de interpretação de nossa missão e de nossa tradição, de nosso campo de atuação e de nossos valores. Valores que serão uma concretização dessa mesma declaração de missão, encarnada na concretude histórica em que nos encontramos. Portanto, a declaração de missão fornece o quadro maior ou o contexto vital em que nossos objetivos estratégicos são formulados.

Após uma longa e ampla discussão, nossa comunidade acadêmica chegou a um conjunto de objetivos estratégicos para o PDI 2021-2025. Antes, porém, vale lembrar que esses objetivos estratégicos estão em ampla consonância com as Preferências Apostólicas da Companhia de Jesus. Preferências que apontam caminhos para a Companhia de Jesus no mundo. Com efeito, em sua inspiração e finalidade, segundo as palavras do Padre Geral da Companhia de Jesus Arturo Sosa, a Companhia possui o desejo de “encontrar a melhor maneira de colaborar com a missão do Senhor, a que mais convém ao serviço da Igreja neste momento, a que melhor podemos realizar com o que somos e temos, buscando fazer o maior serviço divino e bem universal” (Carta a toda a Companhia do Prepósito Geral Padre Arturo Sosa, 19 de fevereiro de 2019).

Nossos Objetivos Estratégicos para o PDI 2021-2025, resumidamente, são:

1. Formação de lideranças juvenis: Investir na formação intelectual, pastoral e espiritual de lideranças juvenis, identificando novas necessidades e linguagens pessoais, sociais e eclesiais, atuando em parceria com as várias obras da Companhia de Jesus, da Igreja e da sociedade;

2. Eclesialidade e espiritualidade: Atuar na formação acadêmica e humana dos vários atores eclesiais e sociais, na busca criativa de propostas pastorais, de intelecção da fé cristã, de estudo dos Exercícios Espirituais e de outras espiritualidades, em parceria e rede com instituições católicas, de outras confissões cristãs e religiosas e não confessionais;

3. Compromisso e incidência social: Oferecer produtos e serviços na área de formação cultural, social e política e atuar em busca de incidência acadêmica em nível nacional e internacional, identificando oportunidades para desenvolver um trabalho em rede com instituições de valores afins;

4. Cultura da ecologia integral: Comprometer-se acadêmica e institucionalmente com a criação de uma cultura da ecologia integral, promovendo, em cooperação com outros agentes, uma incidência socioambiental nos vários âmbitos de presença da instituição;

5. Gestão institucional: Aprimorar o projeto acadêmico, os processos administrativos e as práticas de gestão de pessoas, com o auxílio de colaboradores selecionados, bem formados e identificados com a missão da instituição, fomentando o espírito de equipe, de iniciativa, de criatividade e de profissionalismo, assim como uma cultura de planejamento estratégico.

Finalmente, uma palavra sobre a maneira concreta de conduzir todo esse processo neste triênio que estamos começando. Convidados a recordar a presença sempre alegre e dinâmica de Padre João Batista Libanio na vida desta instituição, sete pessoas sugeriram sete palavras que representariam a vida de Padre Libanio. Uma das palavras possui força heurística para nós neste momento, a palavra equilíbrio, que foi assim explicitada: “Diante da vida e seus mistérios, dos processos culturais e sociais, das aventuras das questões entre fé e razão, Padre Libanio sempre apontava para o equilíbrio. Diante das respostas simplistas que nos inclinam para polos opostos, diante dos extremos que insistem em nos arrastar para um lado, ele mirava o equilíbrio. A palavra equilíbrio, que positivamente é interpretada como busca de harmonia, proporção e juízo prudencial, também se tornou, no pensamento do Padre Libanio, sinônimo de discernimento. A arte do discernimento, ou a arte do equilíbrio, fez de Padre Libanio uma pessoa que, buscando constantemente a lucidez diante da vida, caminhasse serenamente nas veredas das escolhas matizadas”. Queira Deus que o equilíbrio seja nosso melhor guia para discernir os caminhos da vida neste tempo desafiante, que é o que nos toca viver enquanto pessoas e enquanto instituição.

Prof. Dr. Elton Vitoriano Ribeiro SJ

 Reitor da Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia

 

Relatório anual 2021

Relatório anual 2020

Relatório anual 2019

Relatório anual 2018

Relatório anual 2017

Relatório anual 2016

Relatório anual 2015

Relatório anual 2014

Relatório anual 2013

Relatório anual 2012

Relatório anual 2011

Relatório anual 2010

Relatório anual 2009