“PURGATÓRIO, INFERNO E CÉU SEGUNDO RENOLD BLANK – OS TRÊS “NOVÍSSIMOS” COMPREENDIDOS À LUZ DA ESPERANÇA ESCATOLÓGICA, EM VISTA DA SUPERAÇÃO DO MEDO RELIGIOSO”

advanced divider
Autor: Edson de Oliveira Silva
Orientador: Prof. Dr. Geraldo De Mori
Data da defesa: 31/03/2006
Situação: Concluída

Informações:

Banca Examinador:

Prof. Dr. Juan Ruiz de Gopegui
Prof. Dr. Roberlei Panasiewicz
Prof. Dr. Geraldo De Mori

 Resumo

           As categorias teológicas purgatório, inferno e céu continuam despertando interesse entre os teólogos. Também no âmbito da linguagem elas estão presentes, além de marcarem a religiosidade do povo cristão. Há que ressaltar, no entanto, o fato de estes três “novíssimos”1, como são chamados pela escatologia tradicional, não terem recebido um tratamento adequado. Percorrendo a história do cristianismo, encontramos interpretações numa perspectiva individualista e desligada da história. No que diz respeito ao purgatório e ao inferno, sobretudo, prevaleceu uma visão pessimista e marcada pelo medo.

 

Contudo, o clima de renovação teológica, que se verificou no século XX, ajudou a recolocar os “novíssimos” no caminho de uma adequada hermenêutica. Vários teólogos se destacaram nesta tarefa. Citamos Renold Blank, cujo pensamento teológico apresentamos nesta dissertação. Partindo de uma avaliação crítica dos fatores que empobreceram a compreensão dos “novíssimos”, ele procura recuperar o sentido original dos mesmos. Para isso, amplia o horizonte de compreensão a partir do qual pensá-los fundamentando sua explicação em três conceitos: Jesus Cristo, esperança e Reino de Deus.

 

Especificamente, Renold Blank tem a preocupação de reler as três categorias à luz da esperança escatológica, em vista da superação do medo religioso. O centro de sua reflexão é o amor de Deus que procura sempre a salvação do ser humano. O plano salvífico de Deus também envolve a história e o universo. Desta forma, purgatório e céu são momentos de um amplo processo de consumação, que pode ser frustrado pela rejeição humana ao amor divino (inferno). Renold Blank procura destacar a dimensão sócio-histórico-cósmica dos “novíssimos”. Isso está em sintonia com a sensibilidade contemporânea, muita ligada à historicidade do sujeito e à visão holística do mundo.

 

Palavras-chave: Escatologia, Reino de Deus, Jesus Cristo, esperança, Deus, amor, salvação, morte, ressurreição, purgatório, inferno, céu, novíssimos, processo, história, liberdade, conversão, perdão, ser humano (mulher, homem, pessoa), dinâmico/dinamismo, consumação/plenificação.


1 Chamaremos “novíssimos” purgatório, inferno e céu conforme explicação da nota 3, da introdução a seguir.

Downloads